Adeus Correio Velho, bem-vindo Correio Velho

Como está não vai ficar, mas vai voltar como era antes. Parece divagação filosófica, mas é a feliz realidade da realização de mais um sonho iguapense pela luta da Administração Pública, da Sociedade e do IPHAN pela recuperação e conservação do riquíssimo acervo arquitetônico e histórico da cidade. Construído no século XIX, marco da prosperidade iguapense, o prédio está atualmente em adiantado estado de deterioração, mas graças ao tombamento alcançado no ano de 2009, agora a

cidade é contemplada com investimentos do Governo Federal para a total restauração do prédio trazendo de volta à Praça São Benedito o visual suntuoso das sacadas e telhados do Correio Velho, muito parecido como foi em sua concepção original pelo lado de fora e ainda abrigará importantes acervos em seu interior.

O prédio do Correio Velho, construído no antigo Largo de São Francisco, atual Praça São Benedito, foi inaugurado no ano de 1839. Reformado em 1893, foi adquirido pelo coronel Agostinho José Moreira Rollo e posteriormente pertenceu ao comendador João Mâncio da Silva Franco. A partir de 1926, passou a abrigar a agência dos Correios e Telégrafos, que lá permaneceu até 1951. Suas paredes externas são de pedra e cal e as internas eram de taipa francesa. Possuía telhado em duas águas com beiral e sacadas com grades de ferro fundido trabalhado.

Segundo a tradição, nele teriam pernoitado as tropas de Duque de Caxias e Osório, em viagem ao Sul do país, durante a Guerra do Paraguai, ainda que nenhum registro tenha sido encontrado. O prédio do Correio Velho, apesar de sua importância histórica e arquitetônica, encontra-se em avançado estado de deterioração, tendo restado de pé somente as fachadas. Uma intervenção nesta edificação faz-se urgente, tendo em vista o risco de perda. No ano de 2010 foi contratado o “Projeto de Restauração e novo uso do edifício do Correio Velho”, sendo agora necessária a contratação para execução da obra. Esta ação surgiu como demanda no âmbito dos trabalhos do Plano de Ação Cidades Históricas – PAC – Cidades Históricas, e foi pactuada no APPC – Acordo de Preservação do Patrimônio Cultural – documento assinado pela Prefeitura de Iguape e pelo IPHAN.

Agora em fase de processo licitatório em breve o prédio do Correio Velho será restaurado e prevê acessibilidade, por meio de elevadores, ambiente climatização para receber e manter documentos, além de cinemateca, biblioteca, área para palestras, cursos, entre outros para fomento da cultura e preservação do patrimônio.

Esta é uma importante conquista na gestão da prefeita Maria Elizabeth Negrão Silva que além do tombamento do Conjunto Histórico e Paisagístico de Iguape em 2009 pelo IPHAN, está conseguindo a viabilização de vários projetos através de Recursos Federais. “Muitos criticaram o processo de tombamento e questionaram o real impacto positivo da presença do IPHAN na gestão dos conceitos de preservação e restauros do nosso acervo. Aí está um exemplo, no Correio Velho serão cerca de R$ 2 milhões para revitalização do prédio, dinheiro que a cidade não tinha. Teremos de volta mais uma atração turística que mantém um dos pilares da nossa cadeia de sustentabilidade, dentro da filosofia para a vocação turística de nossa economia: mais um prédio, mais uma atração, mais turistas, mais crescimento”, explicou a prefeita.

Para marcar esta nova fase como um ato de despedida ao estado de ruínas e boas vindas à restauração foi realizado no início deste mês a apresentação teatral Desterro do Coletivo Cê, nas ruínas do prédio do Correio Velho, mais uma parceria da Prefeitura com o IPHAN que reuniu um público perplexo ante a qualidade do espetáculo e a suntuosidade da edificação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *