Em curso inédito na Ilha, os segredos da culinária oriental

Ilha Comprida- Delícias como uramaki, hossomaki, temaki, niguirizushi, sushi, sashimi e outras receitas da culinária oriental tomaram conta do Espaço Cultural Plínio Marcos na quarta 27/06, durante a degustação e entrega de certificados aos participantes do I Curso de Sushi /Sashimi, ministrado por Patrick Sushiman. O objetivo do curso promovido pela Prefeitura foi capacitar os jovens para incrementar a culinária da Ilha e oferecer novos produtos aos turistas.

Patrick, responsável pelo Sushi Bar do restaurante Bacharel de Cananéia, disse que se surpreendeu com o interesse e a habilidade dos aprendizes. Segundo ele, trata-se de uma área profissional em expansão e com falta de

profissionais habilidosos. “Há várias frentes de trabalho para o sushiman e a sushiwoman e aqui na região temos a vantagem do peixe fresco”, disse.

Sushiman há três anos, Patrick contou que praticamente nasceu no restaurante de sua família, o tradicional Bacharel, responsável por uma das melhores culinárias da região. Após fazer cursos no SENAC, ele procurou a especialização na Nova Zelândia, com um curso de sete meses na segunda melhor cozinha daquele país. O resultado foi a abertura do Sushi Bar do Bacharel,que atende de quinta a domingo.

Além do diploma, os formandos receberam uma faca, tábua, esteirinha, bandana japonesa e um avental . Ao entregar o kit, o vice-prefeito Nezinho Lisboa abordou a importância de se oferecer novas alternativas de geração de renda e emprego aos jovens da Ilha, assim como ofertar novos produtos aos turistas. O vereador Miguel da Silva Talada, que representou o legislativo, também destacou o aprimoramento da culinária da Ilha com a realização do curso.

Culinária japonesa na mesa caiçara

Para os aprendizes, o curso, realizado entre segunda e quarta, não poderia ter sido melhor.”Aprendemos demais em pouco tempo. É uma nova oportunidade que temos para gerar renda e trabalho”, opinou Maria Madalena Ochski. Para Raissa Hilberath Hoppen, aprender novas técnicas da culinária japonesa abre novas oportunidades profissionais. O diretor do Iate Park Hotel, Kleiton José Fogaça, disse que sempre teve curiosidade para aprender técnicas da cozinha japonesa e deverá introduzir alguns pratos no restaurante do Iate.

O estudante universitário Arthur Alves Negrão da Silva – que cursa Nutrição– disse que pretende compartilhar os novos conhecimentos e, quem sabe, trabalhar na área.”A culinária japonesa é uma arte”, comparou. Gabriela Gomes de Oliveira, do restaurante da Rosilda, disse que pretende introduzir alguns pratos em dias especiais. Ela já trabalha com o preparo de coquetéis, que aprendeu em curso de Gastronomia do SENAC, realizado no início do ano, na Ilha.

O curso de Patrick abordou também a montagem da bancada, técnica de amolar a faca, preparo de conservas, cortes especiais e noções básicas de higiene pessoal e do local de trabalho.