Fábrica de palmito “Caiçara”

Palmeira Juçara (Euterpe edulis)
Ao longo de sua história centenária, Iguape atravessou vários ciclos econômicos, que marcaram a sua evolução. Primeiro foi o ciclo do ouro, entre 1630-1760; depois veio a construção naval, entre 1750-1850; em seguida, o ciclo do arroz, entre 1790-1920; depois, os ciclos da banana, da pesca e do palmito, a partir da década de 1930. Na década de 1940, a lavoura da banana foi perdendo sua hegemonia, surgindo então as indústrias de palmito, o que representou, na década de 1950 e 1960, a mais importante economia do município, que chegou a ter três fábricas que enlatavam o produto.

Nas matas de Iguape e Cananéia existiam …

… grandes aglomeracões de palmeiras, principalmente a “juçara” (“Euterpe Edulis”), que eram exploradas para o enlatamento. O palmito era chamado de “aspargo brasileiro”, com a diferença de ser mais nutritivo. A cultura do palmito era baseada no extrativismo. O palmiteiro, ao cortar a palmeira, tinha de esperar, no mínimo, seis anos para que se desenvolvesse outra. A extração desse produto era um economia bastante instável e não se podia falar de um palmiteiro que vivesse somente de derrubar palmeiras. Em 1948, o engenheiro-agrônomo Dr. Narciso de Medeiros, iguapense ilustre, escrevia:

“O palmito, que é industrializado em Iguape, Registro e Miracatu, é de extração recente naquela região, constituindo ponderável fonte de rendas dos municípios citados.”

Durante o período de 1946 a 1956, a produção de palmito em Iguape cresceu significativamente. No ano de 1957, a maior renda do município de Iguape já era proveniente do palmito, existindo três fábricas que enlatavam o produto. A mais importante era a Fábrica “Caiçara”. que pertencia às famílias de Latif Correa, Oarde Correa e Jofre Manoel. Cerca de 40 operários viviam dos trabalhos do preparo do palmito da marca “Caiçara”. Também no Paraná existiam filiais dessa firma, localizadas em Maringá, Cruzeiro do Oeste e Antonina. A fábrica de Iguape também enlatava palmito para outras companhias, como a “Cica”, “Armour”, “Paulete”, entre outras.

 


“Fábrica Caiçara”, foto datada de 1958

Funcionários da “Fábrica Caiçara”, em 1958

Fonte(s): Roberto Fortes

 

 

CRÉDITOS: Luciano FaustinoAcesse o Blog “História de Iguape”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *