Folclore – Danças

– Reisada ou Reiada (Folia de Reis)
Grupo de, em média, 15 pessoas que vai às residências durante os meses de dezembro e janeiro – geralmente até o dia 6, quando é comemorado o Dia de Reis e, através de música, canto e dança falam da visita dos três Reis Magos ao Menino Jesus. Juntamente com os cantores, estes caracterizados com vestimentas da época, são utilizados instrumentos musicais como violas e rabecas, que dão o tom à festa.

– Fandango
O fandango é uma dança de origem portuguesa, que freqüentou palácios e movimentou a aristocracia brasileira e, posteriormente, foi adotada pelo povo. Na região sul, assim como em Iguape, o fandango é uma dança individual ou de grupo, de acordo com os passos utilizados. No fandango praticado em Iguape, os casais (pares) dançam sem se tocarem, demonstrando diferentes passos, especialmente o São Gonçalo, Sirindi, Passadinho e Engenho. O Valsado é outro tipo de dança do fandango, onde os casais dançam juntos, movidos ao som dos grupos de violeiros. Há também o fandango com tamanco, mais explorado pela comunidade quilombola do bairro Morro Seco, um remanescente de Quilombo existente no município. Vários grupos ainda preservam essa dança em Iguape, com destaque para a Associação de Jovens da Juréia – AJJ.

 – Marujada
Dança e canto representando uma guerra marítima entre portugueses e mouros. No final vencem os portugueses que estão sob a proteção da Virgem Maria. A encenação geralmente é em praça pública com belíssimo figurino.

 – Zé Pereira
Em Iguape, a tradição do Zé Pereira chegou no início do século XX, por volta de 1912, mantendo-se até os dias atuais com a bateria formada por cerca de 20 integrantes que utilizam basicamente três instrumentos: o prato, o bumbo e a caixa de repique. Conta a história que Zé Pereira era um comerciante português que por sentir saudades de sua terra natal quis reviver uma antiga festa portuguesa. Foi então que no ano de 1846 reuniu alguns amigos e saiu tocando bumbo pelas ruas do Rio de Janeiro em época de carnaval, fazendo assim, o seu próprio carnaval, longe dos tradicionais clubes da época que recebiam a aristocracia brasileira. Desde 1980, o Bloco do Zé Pereira sai as ruas de Iguape animando as noites de carnaval.

 – Juritica
Em Iguape, a tradição da Juritica começou em 1960 quando funcionários da Sucen resolveram fazer algo diferente para animar o carnaval iguapense. Assim, nasceu a Juritica, um bonecão de 4 metros de altura, com a cabeça de papelão e o corpo feito de tecido que sai as ruas nos dias de carnaval, seguindo o toque marcado do também tradicional Zé Pereira. As Juriticas de Iguape freqüentemente representam a tradição carnavalesca do município em diversos eventos culturais que acontecem na capital paulista, como o “Revelando São Paulo”, e em outras regiões do Estado e do país.

COMENTÁRIOS VIA FACEBOOK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *