Saúde da Ilha inicia vacinação contra HPV nas jovens entre 11 e 13 anos

hpvIlha Comprida- A Secretaria Municipal de Saúde, em consonância com a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo e o Ministério da Saúde, realiza – no período entre 10 de março a 10 de abril -, a Campanha Nacional de Vacinação contra o papiloma vírus humano (HPV) para as adolescentes na faixa etária de 11 a 13 anos de idade. O objetivo da campanha é proteger as meninas vacinadas contra o câncer de colo de útero e as verrugas genitais.

A campanha começa na quarta 12/03 com imunização na Escola Britânia e na quinta 13/03 na escola Monte Carlo.  A partir de sexta 14/03,  a vacina estará disponível para esse público alvo na Unidade de Referencia e Apoio (URA). A vacina é segura e os efeitos colaterais após a vacinação são leves e pouco  frequentes. Cerca de 10 a 20% poderão apresentar dor e vermelhidão no local da injeção e febre baixa. Algumas adolescentes, devido ao medo da injeção, poderão apresentar desmaio. Por isso, para reduzir o risco de quedas, serão vacinadas sentadas e observadas por 15 minutos.

Doença grave  – O câncer do colo do útero é uma doença grave e pode ser uma ameaça à vida. No Brasil, é a segunda principal causa de morte por câncer entre mulheres. Os tipos HPV 16 e 18 são responsáveis por cerca de 70% dos casos de câncer do colo do útero em todo o mundo e ambos estão incluídos na vacina quadrivalente contra HPV. A vacina contempla ainda dois tipos de HPV de baixo risco (HPV 6 e 11), responsáveis por cerca de 90% das lesões anogenitais.

Vale ressaltar que a vacina não protege contra outras doenças sexualmente transmissíveis, de forma que as pessoas vacinadas devem usar preservativos nas relações sexuais. Para que as adolescentes estejam devidamente protegidas contra o câncer do colo do útero deverão tomar três doses da vacina contra HPV, em escolas ou UBS, no esquema recomendado abaixo:

•    1ª dose: será ofertada para adolescentes de 11 a 13 anos de idade, a partir de 10 de março;

•    2ª dose: administrada seis meses após a 1ª dose;

•    3ª dose: administrada cinco anos após a 1ª dose.

A vacinação das adolescentes ocorre sem necessidade de autorização ou acompanhamento dos pais ou responsáveis. No entanto, caso o pai ou responsável não autorize a vacinação da adolescente na escola, deverá encaminhar o “Termo de Recusa”, devidamente preenchido e assinado.